Decorado Virtual ou Tour 360º, qual escolher?
  • Joel Stival Junior

Decorado Virtual ou Tour 360º, qual escolher?

Atualizado: Jan 13

Quando o assunto realidade virtual surge em uma conversa entre pessoas do mercado imobiliário, a primeira coisa que vem à cabeça são os tours 360º. Até o presente momento, as imagens ou vídeos 360º eram os recursos mais acessíveis associados à tecnologia de realidade virtual. Porém, a partir da segunda metade de 2016, o lançamento de uma nova geração de HMDs (head-mounted display) permitiu um salto na qualidade da tecnologia e contribuiu para o surgimento dos showrooms/decorados virtuais.


O Rift S, HMD lançado em 2019, é o headset para computador mais avançado da Oculus


Mas como saber qual a melhor solução para o seu empreendimento? Embora pareça uma comparação desleal, visto que o decorado virtual é uma evolução do tour 360º, nem sempre é viável optar pelo decorado virtual. Continue lendo para saber quando e por que escolher por uma, ou ambas, das opções!



Diferença entre Tour 360º e Decorado Virtual


Os tours virtuais se resumem em fotos ou vídeos capturados em 360º, que permitem ao usuário olhar o ambiente ao redor. Estes podem ser feitos utilizando câmeras especiais que capturam esse tipo de imagem, ou através de softwares utilizados para modelar e gerar imagens digitais do interior dos empreendimentos. Cique aqui para ver um exemplo de imagem 360º. Os tours 360º podem ser visualizados com ou sem o auxílio de óculos como o Google Cardboard.


Imagem: Google


Nos decorados virtuais, por outro lado, o usuário pode caminhar dentro do ambiente virtual, interagir com objetos, personalizar a decoração, ter a percepção real de espaço do ambiente e até mesmo apreciar, pela janela, a futura vista do empreendimento. Tudo isso com qualidade de imagem fotorrealista, proporcionando total imersão ao usuário e fazendo-o se sentir como se realmente estivesse dentro daquele ambiente. Os decorados virtuais são visualizados através de HMDs como o Oculus Rift S, HTC Vive, entre outros, que permitem explorar uma qualidade de imagem de nível muito superior, além da interação.



Fonte: VRRoom



Saiba quando escolher cada opção


Uma das primeiras coisas a se levar em consideração antes de escolher pelo decorado virtual ou tour 360º é a fase em que a obra se encontra. Caso o empreendimento já esteja construído e tenha um showroom decorado, a solução com câmeras 360º se mostra mais acessível, pois é possível fotografar o ambiente. Mas quando não temos o que fotografar, o decorado virtual se torna mais viável, principalmente nas primeiras fases da obra.


Sabemos que o orçamento de marketing para qualquer empreendimento geralmente é destinado a produção de renderings (imagens fotorrealistas geradas digitalmente) para utilizar em materiais digitais e impressos como websites, anúncios, catálogos, outdoors, entre outros.


Imagem: exemplo de rendering gerado pela AZUBA


O custo de produção desse tipo de material costuma ser alto, visto que exige todo um trabalho de projeto de interiores e modelagem do empreendimento para geração das imagens. Falando em valores, cada imagem gerada digitalmente pode custar de R$ 500 a R$ 10.000, dependendo do nível de qualidade exigido.


Porém, quando a construtora ou incorporadora investe primeiro no desenvolvimento do decorado virtual, a geração dessas imagens se torna muito mais acessível, assim como a geração do tour 360º e vídeos. Veja um exemplo comparativo:



Ou seja, ao invés de ter que escolher por um recurso ou outro, a construtora ou incorporadora pode optar pelo decorado virtual antes mesmo de começar a construir e ter acesso a um pacote completo de ferramentas para auxiliar em suas vendas que inclui o tour 360º. Além das imagens e vídeos originadas a partir do projeto em realidade virtual, o cliente terá à sua disposição um showroom em VR, muito mais acessível que um showroom tradicional.


No caso do decorado virtual de um apartamento de 70m², por exemplo, este pode chegar a custar apenas 15% (aprox. R$25 mil) do valor de um decorado tradicional.

Levando em consideração a tabela anterior e o exemplo de 70m², com apenas R$ 9 mil a mais que o orçamento tradicional seria possível ter também o decorado em realidade virtual.


Outras dúvidas que surgem na hora de optar entre decorado virtual ou tour 360º são:



O padrão do empreendimento faz diferença?


Embora seja uma opinião muito comum, é um erro pensar que o decorado virtual seja viável apenas para empreendimentos de alto padrão. O que temos que levar em conta é o valor geral de venda VGV e não o unitário.


Um empreendimento com um número grande de unidades, por mais que elas tenham pouca área, no somatório o valor total das unidades viabiliza o projeto. Os empreendimentos de alto padrão são mais caros, mas possuem menos unidades que empreendimentos mais acessíveis.


Nos empreendimentos mais baratos as plantas são menores, o que também reduz o custo de desenvolvimento do decorado virtual.



Já tenho um showroom, posso investir na versão virtual?


A resposta é sim, o decorado virtual também funciona como um excelente complemento à versão tradicional. Se você tiver mais de uma opção de planta, por exemplo, a versão em VR permite apresentar as demais opções, assim como flexibilizar o local de apresentação da mesmas.


Para empreendimentos que a vista é um dos principais diferenciais do imóvel, o showroom em VR também é um excelente complemento, uma vez que permite visualizar a vista real de todos os andares.



Benefícios do Decorado Virtual


As vantagens de investir no showroom em VR não se resumem apenas ao seu custo reduzido em comparação aos recursos tradicionais disponíveis no mercado. Entre os principais benefícios estão a customização, antecipação de vendas, sustentabilidade e mobilidade que o decorado virtual proporciona. Neste outro artigo -: por que investir nos decorados virtuais - explicamos melhor sobre cada um deles.



Benefícios do Tour 360º


As imagens e vídeos em 360º são ótimos recursos para a web. Redes sociais como o Facebook e o Youtube dão suporte a esse tipo de mídia, que pode ser utilizado nas campanhas de marketing digital do empreendimento. Veja um exemplo de vídeo 360º:



Além disso, esse recurso pode ser adicionado ao website da construtora/incorporadora para os clientes visualizarem o imóvel estando em suas próprias casas.


Como mencionado anteriormente, outro benefício do tour virtual é a possibilidade de usar câmeras de captura 360º para fotografar um imóvel que já existe, ao invés de modelar e renderizar digitalmente todos os ambientes, tornando-o uma opção mais acessível quando contratado de forma avulsa (preço médio de R$150 a R$500 por foto).



Resumindo


Vimos que ao invés de escolher entre decorado virtual ou tour 360º é possível investir em ambos, uma vez que eles não se substituem, pelo contrário, se complementam. O tour 360º funciona melhor como recurso para utilizar na web (como site e redes sociais), enquanto o decorado virtual surge como uma nova ferramenta para apresentar os tradicionais showrooms.



Além disso, quanto mais cedo for investido no decorado virtual, mais vantajoso ele se torna para a incorporadora ou construtora, principalmente nas primeiras fases do projeto quando ainda não foi gasto o orçamento de marketing na produção de materiais que podem ser gerados a partir do projeto em VR.


Ainda ficou em dúvida? Venha fazer uma visita e experimentar essa tecnologia!


Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades:

Instagram  | Facebook  | LinkedIn

  • instagram
  • facebook
  • youtube
  • linkedin
icon-whatapp (1).png
Entre em contato ou solicite um orçamento
© 2019  A Z U B A  |  Curitiba - PR • Todos os direitos reservados